Cultura

Coral Municipal Monte Vêneto

Do desejo da diretoria do Centro Cultural de Cotiporã, das autoridades municipais e da comunidade foi fundado em 1º de julho de 1991 o Coral Municipal Monte Vêneto.

Formado, o grupo fez sua primeira apresentação em 16 de dezembro do mesmo ano. O coral é composto por 20 integrantes, sendo que os ensaios acontecem semanalmente para melhorar cada vez mais a técnica vocal.

O Coral Municipal Monte Vêneto se apresenta em Cotiporã e municípios da região. Em 2005 participou da gravação do CD Tributo a Mãe de Caravaggio.

O coral é mantido pela Prefeitura Municipal de Cotiporã que, em comunhão com o Centro Cultural, no ano de 2007, concretizou o sonho de todo o grupo, gravar o primeiro CD, em comemoração aos 25 anos de emancipação do município.

Atualmente o coral é coordenado pela Sra Elga Turcatel e tem como Maestro o Sr Francisco Mestre, de Serafina Correa.

  • Coral Municipal Monte Vêneto

Histórico do CIA Municipal de Teatro Arte in Cena

A Cia de Teatro Arte in Cena surgiu em 2009, primeiramente com o apoio da Paróquia Nossa Senhora da Saúde.

No ano de 2010 através de uma parceria entre a Secretaria De Turismo e Cultura e o Centro cultural de Cotiporã, foi criado a Cia Municipal de Teatro Arte in Cena.

A Cia de teatro consiste numa iniciativa idealizada e planejada pela professora de Artes Plásticas e Teatro Adriana Titon Balotin, que desde 1996 aposta no teatro como aliado da educação, na comunidade. Em 2012 o grupo de Teatro passou a integrar diretamente a pasta da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, sendo mantido através de rubricas específicas.

O Arte in Cena destacou-se em vários festivais, bem como apresentou-se em várias cidades da região e do Estado levando a Cultura, a Arte e a História de nossa terra há vários lugares, divulgando o município e sensibilizando as pessoas por meio da arte.

O principal objetivo deste grupo é promover exercícios e técnicas teatrais a fim de ampliar as percepções sensoriais (ver, ouvir e sentir) proporcionando o contato com a experiência da fruição artística, desenvolvendo capacidades e habilidades expressivas, bem como o conhecimento do corpo, da voz e do movimento dos participantes. Busca-se consolidar o teatro no Município de Cotiporã, mostrando os talentos da comunidade por meio de atividades culturais e montagem de textos teatrais.

Atualmente o grupo conta com dezessete participantes que se reúnem semanalmente desenvolvendo oficinas e ensaios de teatro.

Nestes anos, o grupo montou e criou vários trabalhos apresentados para mais de vinte mil pessoas, em mais de duzentas performances.

Merecem destaque algumas das montagens realizadas pelo grupo:

"A Gênese contada inversamente";
"A Via-Sacra" na Praça de Cotiporã;
"Ploc, a borboleta mais linda que já vi";
"A Colcha de Retalhos";
"Naneto Pipeta";
"O Pequeno Imperador";
"Romeu e Julieta";
"A Santa Ceia";
"O Analista de Bagé";
"O Auto da Compadecida";
"O Menino que virou história";
"Ari Areia, Um grãozinho apaixonado";
"A comédia da esposa muda";
"As dez mais do córtex cerebral";
"Notícias da Província".

O teatro está profundamente ligado à Educação, podendo proporcionar experiências que contribuam para o crescimento integrado do ser humano.

  • CIA de Teatro
  • CIA de Teatro
  • CIA de Teatro
  • CIA de Teatro

Histórico Orquestra

A Orquestra Jovem de Cotiporã foi fundada em maio de 2010, com o intuito de aprimorar e sofisticar a instrumentação da então Banda Marcial Municipal e adaptar suas apresentações a auditórios. A Orquestra conta com o investimento direto da Prefeitura Municipal de Cotiporã que disponibiliza espaço, instrumentos, uniforme e o Maestro Sr. Juliano Farenzena para que desenvolvam um trabalho diferenciado e de qualidade.

O objetivo dessa iniciativa é oferecer a oportunidade de aprender a tocar um instrumento gratuitamente e, por consequência, desenvolver uma melhor cognição, orientação espacial e temporal e coletivismo, já que, um instrumento complementa o outro e dá sintonia ao conjunto.

Os ensaios acontecem semanalmente e as apresentações se estendem ao município e às cidades da região. Anualmente a Orquestra Jovem de Cotiporã inova o repertório para seu maior momento de prestígio, um concerto, que leva um tema diferenciado a cada edição:

- The Beatles (2011)
- Anos Oitenta (2012)
- Invasão Inglesa (2013)
- Brasil: Mostra a tua Cara! (2014)

  • Histórico Orquestra
  • Histórico Orquestra
  • Histórico Orquestra
  • Histórico Orquestra

Casa da Cultura

O Museu Municipal de Cotiporã tem lugar na Casa da Cultura da cidade e divide o espaço com a Biblioteca Municipal. A construção foi iniciada em 1932 e concluída em 1940 com a iniciativa de André Argente em conjunto com a comunidade local, para alocar a Cooperativa da Aguardente Farroupilha. Do fechamento desta cooperativa em 1971, o imóvel foi ocupado pela Sociedade Educacional de Cotiporã (SEDUC) até 1984. Após 1984, dois anos após a emancipação do município, o imóvel passou a ser ocupado pela Prefeitura Municipal, até 1998.

Em 16 de Maio de 1990, a comunidade local e os órgãos públicos se reuniram a fim de estabelecer o Centro Cultural. Em 28 de Maio de 1992, de acordo com decreto executivo nº 644, foi criado o Museu Municipal. Não havia um endereço fixo para o Museu. As doações recebidas passaram pela casa do presidente da instituição, pela Prefeitura (casa onde hoje é o endereço oficial do Museu), e por um prédio construído entre 1990-1991 (que desde 1998 abriga a Prefeitura Municipal). Em 06 de Abril de 1998 o Museu estabeleceu-se definitivamente na Rua Bento Gonçalves, 44, antiga Cooperativa da Aguardente Farroupilha.

O Centro Cultural, como é chamado esse local que abriga o Museu, a Biblioteca e o Anfiteatro (no térreo, com espaço para 300 pessoas) são mantidos pela Prefeitura Municipal. O complexo atente o público de segunda a sexta-feira, das 7h30min às 11h30min, das 13h30min às 17h e sábado e domingo mediante agendamento.

A estrutura é de alvenaria, esquadrias em madeira, foro do teto em madeira e telhado de cerâmica. Vê-se a necessidade de reparos externos e internos. A administração tem como meta a reforma do local tendo como prazo o fim do ano de 2015.

A temática do Museu é a Imigração Italiana. O museu tem uma boa organização, e expõe os seguintes artefatos:

• Elementos da moradia, vestuário, utensílios domésticos, ferramentas de trabalho, característicos dos imigrantes italianos.
• Acerco religioso com Bíblias antigas, vestuário e objetos de celebrações religiosas católicas.
• Objetos remanescentes da antiga Cooperativa.
• Projetor de filme do antigo cinema da cidade.
• Fotografias recentes sobre a cidade.
• Máquinas de escrever, mimeógrafo.
• Partituras e instrumentos musicais.
• Antigos relógios, armas, e demais pertences de imigrantes.
• E, um depósito com peças a serem restauradas.

  • Casa da Cultura
  • Casa da Cultura
  • Casa da Cultura

Escritor Adão Wons

Poeta sulista, ativista cultural. Sua vida está equilibrada entre a empresa que tira seu sustento e suas atividades culturais que abrange a literatura mundial, a divulgação do potencial turístico da cidade, a preservação da natureza, a conscientização do meio ambiente e da paz mundial.

Membro da associação IWA- International Writers & Artists Association – USA, Acadêmico na Accademia Internazionale Il Convivio na Itália, Embaixador Universal da Paz pelo Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paz - Suisse / France, Membro do movimento Poetas del Mundo - Santiago /Chile. Membro da Unión Hispanomundial de Escritores. UHE – Lima / Peru. Membro Sociedad Venezolana de Arte Internacional – Caracas /Venezuela. Delegado Cultural Regional sob nº DCR/RS/BR-0060-13 Delegacia Cultural de Minas Gerais – Contagem –Minas Gerais . Membro da EscBrás – Escritores Brasileiros – Minas Gerais- Imortal correspondente da Academia de Letras do Brasil pela seccional da Suíça.

Academico presidente, delegado cultural no Brasil da Accademia Internazionale Arte e Cultura de Belle Arti, Lettere e Scienze Michelangelo Angrisani – Itália – Representante regional da FEBAC – Federação Brasileira de Alternativos Culturais – São Paulo. Editor do alternativo Cotiporã Cultural, onde divulga novos talentos e atuais na cena literária mundial,. Mantém um intercambio cultural com escritores,poetas, jornalistas e com instituições de cultura no Brasil e no mundo.

Premiado internacionalmente com seus poemas nas regiões da Itália, França, Argentina, Austrália e em vários estados no Brasil. Participa de inúmeras coletâneas internacionais, em países da; Argentina, Estados unidos, Austrália, Itália e pelos estados do Brasil.Seus poemas já foram traduzidos em inglês, francês, espanhol, italiano, grego e publicados em inúmeros jornais, alternativos culturais no Brasil e pelo mundo.

Mais informações em: http://adaowons.blogspot.com.br/

Professor Ambrósio Giacomini - Pesquisador e Historiador

Bacharel em Filosofia, Graduado em Gestão Ambiental e Urbana. Também exerce atividades ligadas a Educação: Professor e Diretor da Escola Estadual Jacintho Silva, escreveu a Síntese histórica de Cotiporã, publicada através da Academia Rio Grandense dos Municípios do Rio Grande do Sul (ACMURS). Participante ativo dos Encontros “Raízes de Santo Antônio da Patrulha”, publicando diversos artigos sobre Cotiporã. Escreveu a Genealogia e História da Família Giacomini. Atualmente segue com os Projetos já escritos, mas não publicados: Cotiporã e sua História; Povoados de Cotiporã - parte III (continuação doa volumes I e II do Frei Rovílio Costa e Sérgio Grando).

Como Chegar

Fotos

  • Casa da Cultura
  • Histórico CIA de Teatro
  • Balneário Rio das Antas

Vídeos

  • Vídeo institucional do Município de Cotiporã
  • Morro do Céu
  • Viver, Experimentar, Sentir